quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Adélia Prado - O Sempre Amor (2003)

Com roteiro assinado pela própria Adélia Prado, O Sempre Amor traz os poemas na voz da própria autora: Para cantar o saltério; Uma vez visto; A serenata; Amor; O amor no éter; Memória amorosa; Pranto para comover Jonathan; Os lugares comuns; Bilhete em papel rosa; Para o Zé; Casamento; Psicórdica; Um jeito; A meio pau; Corridinho; Amor Feinho; Bairro; A terceira via; Raiva de Jonathan; Mais uma vez; Amor violeta; Matéria; Formas; O encontro; A santa ceia; O conhecimento bíblico; O sacrifício; A batalha; O sempre amor – selecionados dos livros: Bagagem; Terra de Santa Cruz; O Pelicano; A faca no peito e Coração Disparado.

Os poemas foram gravados por Adélia Prado em abril de 2001. A trilha sonora surgiu após a inspiração trazida pela grandiosidade do texto. Convidado pelo selo Karmim, Mauro Rodrigues, também diretor musical da produção, compôs a trilha, especialmente para o disco.
O ‘Poema Orquestral’, gravado em setembro de 2002, é executado pela Orquestra de Câmara do Sesiminas e pelos músicos convidados: Carlos Ernest Dias (oboé), Fernando Rocha (vibrafone) e Mauro Rodrigues (flauta). O projeto gráfico do disco é assinado por Walter Santos e Júlio Conradi e vem acompanhado de libreto contendo todas as poesias nele gravadas.

Preço – R$35,00

Faixas
•Poema Orquestral
•Para cantar com saltério
•Uma vez visto
•A serenata
•Amor
•O amor no éter
•Memória amorosa
•Pranto para comover Jonathan
•Os lugares comuns
•Bilhete em papel rosa
•Poema Orquestral
•Para o Zé
•Casamento
•Psicórdica
•Um jeito
•A meio pau
•Corridinho
•Amor feinho   
•Poema Orquestral
•Bairro
•A terceira via
•Raiva de Jonathan
•Mais uma vez
•Amor violeta
•Poema Orquestral
•Matéria
•Formas
•O encontro
•A santa ceia
•O conhecimento bíblico
•O sacrifício
•Poema Orquestral
•A batalha
•Poema Orquestral
•O Sempre Amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário