quinta-feira, 28 de novembro de 2013

DJ Tudo e Sua Gente de Todo Lugar - "Nos Quintais do Mundo Melhor" - DVD (2013)

Depois de lançar 2 discos e tocar pelo Brasil, 15 países da Europa e EUA,
DJ Tudo e sua Gente de Todo Lugar lança o DVD “Nos quintais do Mundo Melhor”, dirigido pelo cineasta Beto Brant.

O DVD Nos quintais do Mundo Melhor é um apanhado estético da carreira desse músico que há 25 anos atrás, ao sair do primeiro emprego na adolescência, comprou um baixo elétrico. Esse foi seu rito de passagem para a música. DJ Tudo surge em meados dos anos 90, período em que se interessa pelas tradições culturais brasileiras e também pela música eletrônica emergente. Nessa mesma época se formou em música pela Universidade de Brasília.

Desde 2000 vem adquirindo uma larga experiência como músico e produtor de discos variadíssimos. Possui um acervo de registros da cultura brasileira de 1.650 horas, recolhidos durante 12 anos de trabalho e viagens pelo Brasil e conta, além disso, com uma coleção de mais de dez mil vinis. A isso somou elementos musicais e culturais adquiridos em suas excursões pela Europa, Estados Unidos e África.

O resultado é um trabalho que reúne elementos da tradição musical brasileira, dub, funk e eletrônica. Manifestações tradicionais como maracatu, afoxé, caboclinho, congado, embolada e baianá e seus poderosos ritmos foram tomadas como base para a construção do repertório. Em agosto de 2008 começa a se apresentar pelos palcos do Brasil, EUA e principalmente da Europa.

Todas essas vivências e shows culminaram no DVD Nos quintais do Mundo Melhor, com direção do renomado cineasta Beto Brant, gravado em julho de 2011 em São Paulo, no maior templo da música do Brasil, o Auditório Ibirapuera.

O DVD traz, além do show de 16 músicas com a participação de 25 músicos, o making of dos bastidores da gravação do DVD e do processo de pesquisa e criação de DJ Tudo e sua Gente de Todo Lugar, com vários depoimentos e registros de algumas de suas andanças pelo Brasil.
Show de lançamento do DVD:

Neste show a banda irá em grande estilo com 13 músicos no palco, uma super banda com vários dos músicos expressivos da cena de música paulistana e brasileira e o VJ Scan projetando vídeos da pesquisa de Alfredo Bello, muitos desses vídeos com registros que estão presente no show. Além do convidados Letieres Leite da Rumpilezz, Ligiana e outros.

Em fevereiro de 2013 DJ Tudo parte para a Europa para apresentar-se como DJ nos principais clubes de várias cidades da Europa como: Colonia, Bruxelas, Lyon, Grenoble, Amsterdam, Ljubljana e Londres. A turnê vai durar um mês e meio. Irá ministrar palestra sobre Cultura brasileira na Alemanha e França, também fará shows com a banda francesa Forro de Rebeca e em Londres vai mixar parte de um disco novo com o produtor Mad Professor.

Preço – R$35,00

Faixas:
01 - Baque Forte
02 - Gaita Mestra
03 - Sou Massape
04 - Nossa África
05 - Vamos Ver Santa Efigênia
06 - Afro Jam
07 - Por Um Mundo Melhor
08 - Baião Antigo
09 - Se Ver Que Vai
10 - Na Avenida do Forte
11 - Batucajé
12 - A Barquinha de Noé
13 - Verdelinho das Alagoas
14 - Baião de Viola
15 - Malandrinho, O Maxixe
16 - Quero Bater No Pandeiro

Composições de Domínio Público 

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Absinto Muito - A Banda Morre (2013)

Uma dose psicodélica do mais puro Rock’n’Roll. A Absinto Muito traz um som transcendental, que combinado com seu visual transmite a uma sensação singular , perdida no tempo.

Uma experiência que convida o ouvinte para um momento sensorial, abrindo espaço para muita improvisação e liberdade de ambos os lados. A banda oferece uma catarse de sensações únicas, aberta para quem estiver disposto a se entregar.

A Absinto é um clássico power trio fortemente influenciado pelos anos 60 e 70, que através de uma formação simples e sincera de guitarra (Renato), bateria (André), Baixo (Vitor) e Vocal (Godoy), traduz para o protugues brasileiro atual o movimento rebelde e livre da juventude de 69.

A banda passeia pelo tropicalismo do Brasil e pelos campos hippies de Woodstock, trazendo amor e ousadia em suas composições e versões. Um encontro entre Hendrix, Mutantes e Zeppelin culminando em uma sonoridade atual e nostalgica.

Preço - R$25,00

Faixas:
01 - Primeiro A Valsa depois A Bossa
02 - Não Se Afobe
03 - Maçã
04 - O Menestrel
05 - A Vontade Que Faz-me Ceder
06 - Está Por Vir
07 - A Quem Amanhecer
08 - Ela Nunca Se Cala
09 - Anda Corre
10 - Água Velha
11 - Décima Oitava Parte
12 - É Melhor Terminar

Composições de Absinto Muito 

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Silvia Negrão - Rabiola Ola Catibiribola (2013)

O musical é o mais novo trabalho da cantora e compositora Sílvia Negrão e apresenta as canções do novo CD da artista, além de parlendas, brincadeiras de ciranda, trava-línguas, músicas de assombração, num divertido repertório que Sílvia selecionou dos relatos que lhe foram trazidos pelo público, desde que lançou seus primeiros CDs "Catibiribão – Baú de Músicas e Brincadeiras" – Volumes 1 e 2.

Entre as cantigas e brincadeiras resgatadas, estão canções trazidas pelos imigrantes de diversas nacionalidades, que vieram para o Brasil, e também composições autorais de Sílvia Negrão e de Bruno Negrão.

A cantora gosta de imaginar que seus primeiros CDs foram como uma pipa, que aprumando no céu, contagiou as pessoas que passaram a entrar na brincadeira, colocando mais fitinhas coloridas na rabiola da pipa. Cada fitinha é uma música que foi lembrada e que agora estão no CD e neste emocionante musical.

Preço – R$23,00

Faixas:
01 - Linda Laranja - Foclore Brasileiro
02 - Beleléu - Sílvia Negrão
03 - Sô Rei - Folclore Brasileiro derivado do folclore português
04 - El Gusanito - Folcolore do Equador
05 - Castelos - Sílvia Negrão
06 - Acorda, Peixinho - Bruno Negrão
07 - Otou Sama - Folclore Japonês
08 - Mané João - Folcore Brasileiro
09 - Os Dinossauros - Sílvia Negrão
10 - Nad-Ned - Domínio Público Hebraico
11 - A Floresta - Folclore Brasileiro
12 - Hoppe, Hoppe, Reiter - Folclore Alemão
13 - Tonta Rolinha - Sílvia Negrão
14 - Pacuera... Era Meia-Noite... - Folcore Brasileiro
15 - Chuchu Roxo - Domínio Público
16 - Melão, Melão - Folcore Brasileiro
17 - Tatu Tá No Moinho? - Folclore Brasileiro    

DVD - Zé Guela Ao Vivo (2010)

Em 2000 na cidade de Alfenas/MG, Zé Guela formou uma banda e o apelido, informal, se transformou no nome do grupo. A banda, na época, fazia um rock de entretenimento, irreverente, despretensioso. Nessa “brincadeira”, lá se foram dois CDs (...)

Em 2010, a banda Zé Guela comemorava 10 anos de carreira e esta importante data, não poderia passar despercebida. O último espetáculo realizado no Teatro Alterosa em Belo Horizonte/MG, permitiu ao grupo reunir canções inéditas e de trabalhos anteriores, para o primeiro DVD ao vivo da Zé Guela. Com um currículo tão representativo, a proposta justifica-se pelo ineditismo e pela coragem de realçar a música feita no interior mineiro e a força de expressão do piano em toda sua potencialidade.

 O Zé Guela faz na média de 120 apresentações por ano, entre festivais de MPB, festivais de Rock, shows em bares, casas noturnas e teatros. Exemplos : Teatro Alterosa em Belo Horizonte-MG, Festival Nacional da Canção,Festival de Alegre/MG, Piraí/RJ, Botucatu/SP Palácio das Artes em Belo Horizonte/MG,Triângulo Music, Festa Nacional da Cerveja, etc.

Preço – R$25,00


Faixas:
01 - Casa de Boneca
02 - Vendedor de Histórias
03 - A Vida da Janela
04 - Acabou
05 - Outras Vidas
06 - Tudo Bem Comigo
07 - Amar
08 - Vem Viver
09 - Melancolique
10 - Voa
11 - O Iluminado
12 - Pirofagia
13 - Pedras e Portas
14 - Maquiagem
15 - Casa Forte
16 - Acabou

Composições de Zé Guela


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Fernanda Sant'Anna - Brasilidades - DVD (2012)

Fernanda Sant'Anna. Brasileira. Mineira. Cantora. Intérprete. Compositora.
Nascida na cidade de Barbacena/MG iniciou-se na carreira artística/musical de forma profissional aos 18 anos de idade com seu primeiro show de MPB, realizado na mais tradicional casa de shows da cidade. Desde então, começou a se destacar no cenário musical dos Campos das Vertentes pela qualidade de seu trabalho e pesquisa de repertório sempre voltada para as raízes e riquezas da Música Brasileira, da qual recebe influência desde criança.

É formada em "Canto Popular" pela “Bituca - Universidade de Música Popular”, onde estudou Canto Popular com Babaya, Musicalização pelo método Kódaly com Ian Guest, Percepção Musical com Felipe Moreira, História da Música com Gilvan de Oliveira e Expressão Corporal e Preparação para o Palco com o Grupo Teatral Ponto de Partida.

Em Agosto de 2011, realizou a gravação do DVD Brasilidade no Teatro da Cabana da Mantiqueira, em Barbacena/MG, contando com a participação especial dos músicos Serginho Silva (percussão), Guido Campos (clarinete) e Breno Mendonça (saxofone). O show de lançamento aconteceu, com muito sucesso, na renomada “Bituca - Universidade de Música Popular”.

Possuindo um timbre de voz diferente e característico a sua personalidade, foi considerada pela produção do Festival Goma/Uberlândia/MG, do qual participou em junho/13, como uma das maiores promessas da nova música produzida no interior do estado.

Brasilidade é um projeto de cunho cultural, idealizado pelo trio de músicos do interior de Minas Gerais: Fernanda Sant’Anna, William Magalhães e Licinho. Consiste em um show onde a principal característica é a mistura de ritmos típicos da Música Brasileira como samba, baião e maracatu, renovando e valorizando, através da música, uma das principais características do Brasil: a diversidade cultural.

Destacam-se pitadas dessa "Brasilidade" no repertório, que possui a pesquisa voltada para os grandes arquitetos da MPB, com releituras de Chico Buarque, Baden Powell, Vinícius de Moraes, Milton Nascimento, João Bosco, Nélson Cavaquinho, Caetano Veloso, Luiz Gonzaga, entre outros, somada a composições inéditas da cantora Fernanda Sant’Anna e de seu parceiro sambista Licinho Percussão, tudo isso, valorizado ainda mais através dos arranjos ousados e sofisticados do guitarrista, violonista e diretor musical do projeto: William Magalhães.

Preço – R$20,00

Faixas:
01 - Vento de Maio - Márcio Borges e Telo Borges
02 - Berimbau - Baden Powell e Vinícius de Moraes
03 - Conversa de Botequim - Noel Rosa, Oswaldo Gogliano e Vadico
04 - A História de Lily Braun - Chico Buarque e Edu Lobo
05 - Acorde - Fernanda Sant'Anna
06 - Samba e Amor - Chico Buarque
07 - Correnteza - Tom Jobim
08 - Lobo Bobo - Carlos Lyra e Ronaldo Bôscoli
09 - Dia de Maré Cheia - Fernanda Sant'Anna
10 - Capoeira - Fernanda Sant'Anna
11 - O Ronco da Cuíca - João Bosco e Aldir Blanc
12 - Caxangá - Milton Nascimento e Fernando Brant

Jennifer Souza - Impossível Breve (2013)

A voz dela é rouca. As melodias são delicadas. Mas quando fala sobre 'Impossível breve', a cantautora Jennifer Souza exibe segurança e objetividade que em nada lembram a suavidade registrada nas canções de seu primeiro álbum.

Neste trabalho Jennifer convida o público a chegar bem perto para ouvir canções que, como ela gosta de apresentar, “falam de coisas que talvez sejam comuns para muitas pessoas”. Não só em sonoridade, mas em temática 'Impossível breve' é mesmo muito diferente de tudo do que até então ouvimos na voz dela. “É um disco que compus em momentos muito sinceros, uma necessidade urgente de desabafo”, diz. São nove canções com referências que vão do jazz ao folk.

A criação dos arranjos foi feita em parceria com Frederico Heliodoro e Felipe Continentino. A ideia, desde o início, era deixar que a criação surgisse de um fluxo natural. Nada de coisas muito planejadas para serem milimetricamente executadas. Foi aí que o nome de Fred e Continentino surgiram com força. Apontados como profissionais promissores da cena instrumental de Belo Horizonte, eles levaram para o trabalho de Jennifer os improvisos do jazz. Segundo ela, tudo surgiu de um jeito natural. “

Todas as músicas e melodias são dela, porém em quatro faixas Jennifer tem como parceiros letristas Artênios Daniel, Ludmila Fonseca e Flávia Mafra. Para Jennifer, a experiência solo traz novos desafios à carreira. “Dentro de um coletivo você fica mais protegida. Agora sou eu, minhas músicas, minha mensagem”, diz.
*por Carolina Braga - EM Cultura

Preço – R$15,00

Faixas:
01 - Sorte ou Azar - Jennifer Souza
02 - Vouloir - Jennifer Souza
03 - Pedro & Lis - Jennifer Souza, Artênius Daniel e Ludmila Fonseca
04 - Esparadrapo - Jennifer Souza e Flávia Mafra
05 - Logo Tudo Acabado - Jennifer Souza
06 - Le Flâneur - Jennifer Souza
07 - Para Kerouac - Jennifer Souza e Artênius Daniel
08 - Possível Breve - Jennifer Souza
09 - Cuida de Si - Jennifer Souza  

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Pedro Morais - Vertigem (2013)

"Estou mais roqueiro, fazendo um som cada vez mais visceral", observa Pedro Morais, numa conversa informal em seu apartamento, no bairro Caiçara. Quem ouviu as três primeiras músicas do álbum "Vertigem", disponibilizadas para audição no site Rdio, sabe que Pedro Morais está realmente trilhando novos caminhos sonoros. O violão deixa de ser protagonista e dá a vez para guitarras mais bem trabalhadas, por vezes ruidosas – na medida certa.

A capa do álbum, conferida em primeira mão pela equipe do Hoje em Dia, representa bem a mudança estética do músico. Desenvolvida pela dupla Dante/Juliano da empresa 45 Jujubas, a ilustração indica a ideia de um Pedro mais livre artisticamente, disposto a se aventurar por diferentes linguagens. Há aqui até mesmo a primeira incursão do artista pelo universo do rap, na faixa "Ê Camarada".

"As minhas músicas estão bem mais simples nas harmonias e melodias, e com arranjos mais sujos. Essa sujeira não era meu objetivo, mas apareceu no decorrer do processo", conta Pedro Morais, que desejou desenvolver um álbum mais questionador, contemporâneo e menos apurado tecnicamente que seus dois anteriores, homônimo (2004) e "Sob o Sol" (2009). "Vivemos uma geração que percebeu que toda a limpeza de som que vem sendo feita pode não ser muito benéfica. Um som não muito limpo pode ser mais verdadeiro e humano".

Distribuição
Apontado há oito anos como uma das principais "promessas" da música pop mineira, Pedro tem uma grande oportunidade de conquistar novos horizontes na cena nacional com o bem trabalhado "Vertigem". Produzido por Gustavo Ruiz (irmão e produtor dos álbuns de Tulipa Ruiz), o álbum será lançado pelo selo Oi Música e terá distribuição em todo o país pela Microservice. "Não acredito em gravadora, mas é muito importante saber que o seu disco está sendo bem distribuído".

O contrato com o selo da Oi faz parte da premiação do concurso do Festival Música Pra Todo Mundo (MPTM), em que Pedro foi o segundo mais votado pelo voto popular. Além dele, Nevilton foi escolhido pelo público, enquanto Bárbara Eugênia e Wado foram selecionados por uma curadoria. O contrato prevê a feitura do disco e a realização de um show de lançamento – feito este mês no Oi Futuro carioca, após a divulgação das faixas "Para Repetir", "Liga" e "Bilhete".

Produção está sendo feita por conta própria
Aos 31 anos, Pedro se vê em uma fase bem empreendedora. Após oito anos sendo agenciado pela Cria! Cultura, em 2013 o músico tomou a decisão de produzir sozinho sua carreira. E sabe bem que é possível dar passos largos por conta própria.

O sucesso no concurso da Oi Música, por exemplo, deve-se muito à sua labuta solitária em frente ao computador, sensibilizando os fãs para conquistar votos no difícil certame – ele disputou com 29 artistas bem cotados no mercado da música independente contemporânea, como Do Amor, Transmissor e Manu Santos.

"Todo contato com público pela internet é feito por mim mesmo. Coloco a mão na massa. Já aconteceu de eu ter um show numa cidade de interior e ir uma semana antes para o local para eu mesmo pregar os cartazes", lembra o artista.

A principal preocupação pós-lançamento de "Vertigem" é trabalhar em nome do fortalecimento de sua marca. Ele pretende investir alto em comunicação e criar produtos associados a seu nome, como camisetas, ímãs de geladeira e um disco de vinil.

"Vivemos num sistema capitalista e o trabalho tem que ser viável financeiramente. Vou fortalecer a marca e buscar mais shows no exterior. Acredito que esse disco vai ter boa recepção na Europa", diz.
Por Cinthya Oliveira - Hoje em Dia 

Preço – R$25,00

Faixas:
01 - Para Repetir - Pedro Morais
02 - Liga - Pedro Morais
03 - Bilhete - Pedro Morais e Mário Quintana
04 - Vertigem - Pedro Morais e Francesco Napoli
05 - A Eternizar - Pedro Morais
06 - Nuvem - Pedro Morais, Francesco Napoli, André Miglio e Danilo Guimarães
07 - Curva da Noite - Pedro Morais e André Lima
08 - O Amanhã - Pedro Morais e Magno Mello
09 - Às Vezes Só - Pedro Morais e Magno Mello
10 - O Grão - Pedro Morais e Magno Mello
11 - Ê Camarada - Pedro Morais e Magno Mello
12 - Ê Camarada (Versão Dubwise) - Pedro Morais e Magno Mello

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Carol Serdeira - Lembrete (2013)

Natural de Juiz de Fora, a mineira Carol Serdeira desde muito cedo demonstrou sua vontade de emprestar a voz suave ao samba jazz.

Estudou Canto na Universidade de Música Popular Bituca e no Conservatório de sua cidade natal e, aos 17 anos, já se apresentava profissionalmente, apadrinhada por Marcelo Corrêa e Zé Francisco.

Desde então, participou de grandes eventos como o Festival Spazio Café Jazz, Tributo a Sueli Costa, Caminhos Verdes Jazz Festival e Palco Beepop, no Savassi Jazz Festival.

Agora, Carol Serdeira apresenta seu primeiro CD. Com músicas inéditas, autoral e releituras, Lembrete marca uma nova fase na carreira da cantora e compositora e destaca sua maturidade vocal. As canções passeiam pela bossa nova, samba canção, brincam com o afoxé e se deleitam no samba jazz. 

Lembrete é isso: não nos deixa esquecer que música é vida. Ela pulsa mansa e lindamente na voz de Carol.

Preço – R$25,00

Faixas:
01 - Olhou Pra Mim - Ed Lincoln e Silvio César
02 - Ainda é Tempo de Ser Feliz - Samy Érick e Juliana Stanzani
03 - Samba Pra Morrer - Roger Resende e Juliana Stanzani
04 - Lembrete - Marcelo Corrêa e Kadu Mauad
06 - Por Causa de Você - Tom Jobim e Dolores Duran
07 - Toda Silêncio - Carol Serdeira, Breno Mendonça e Kadu Mauad  

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Frederico Heliodoro - Verano (2013)

"Frederico Heliodoro é um instrumentista-compositor de exceção. Tem pleno domínio instrumental - e quando se trata de fazer Musica bonita com o contrabaixo isso se multiplica por dez. Além disso, compõe com fluência uma música inteligente e atraente aos ouvidos, que recebe cumplicidade absoluta de seus parceiros, irmanados pela vontade de buscar uma performance livre e ao mesmo temp rigorosa. e o grupo consegue aqui este belo resultado, coeso, apontando para uma ainda maior sintonia que vem e virá com o tempo. 

E são músicos jovens e já com uma produção tão expressiva. heliodoro é assim: Impressiona pela energia e grande talento que imprime em seus vários projetos. Só posso desejar que ele encontre ouvidos tão ávidos pela escuta quanto ele é pela criação musical. esse é o desafio e questionamento que todo músico ativo e prolífico enfrenta. (E não desanimar jamais diante do dilema!) Parabéns e meus sinceros abraços musicais."
André Mehmari, janeiro de 2013  

Preço – R$25,00

Faixas:
01 - Vida Nova Outra Vez
02 - Verano
03 - Festa de Fim de Mundo
04 - Topo do mundo
05 - Louco Sertanejo
06 - Riza
07 - MBS

Composições de Frederico Heliodoro   

Selmma Carvalho - Minha Festa (2013)

A cantora, pianista e compositora Selmma Carvalho estará no Café do Palácio das Artes, dias 20 e 27/11/2013, às 19e30 horas, dentro do projeto Café com Música, apresentando o show de lançamento do seu novo CD “Minha Festa”. Ela estará acompanhada por Rogério Delayon. A entrada é gratuita.

Este é o quarto CD da artista novalimense que, além de intérprete talentosa que todos conhecem e aplaudem, traz agora a sua verve de compositora em parcerias com alguns dos artistas mais importantes da nossa música popular. Com um repertório original, cheio de personalidade e sua voz delicada e doce, Selmma se mostra uma compositora madura, interpretando canções próprias com letras curiosas, abordando temas que exprimem sentimentos sobre fatos do cotidiano.

Em boa companhia, no CD “Minha Festa” Selmma registrou quatro composições de sua autoria: “Âncora” e “Imperfeição”, em que ela assina a letra e a música de duas canções marcantes, num misto de balada e pop gostoso que dá vontade de dançar. “Paisagem pra você”, em que Selmma convidou seu amigo Sérgio Moreira (que dispensa apresentação) para escrever a bela letra. A quarta música de sua autoria, intitulada “A seu dispor”, ela compôs com Vander Lee e Paulo Santos.

Entre canções inéditas, suas, de autores contemporâneos e regravações, o CD tem direção musical e arranjos de Rogério Delayon, que participa em todas as faixas se revezando em vários instrumentos. Na música que abre o disco, “Nômade”, de Samuel Rosa e Chico Amaral, Selmma divide os vocais com Chico César; as Formosas (Babaya, Celinha Braga e Lu Braga) emprestaram suas lindas vozes na faixa “Âncora”, da própria Selmma. Em “Canção do amor doméstico”, além de assinar a autoria desta música com Francisco Bosco, Fred Martins comparece cantando com Selmma. A música que dá nome ao CD “Minha festa”, de Nelson Cavaquinho e Guilherme Brito, tem marcante presença de Sérgio Pererê.

Nos instrumentos estão as participações luxuosas de: Rogério Delayon (violão, guitarra, 12 cordas, cavaquinho), Felipe Fantoni (baixo acústico), Jelber Oliveira (teclados e acordeon), Bill Lucas (percussão), Fernando Nunes (baixo), Leise Renhe (violinos) e Sérgio Silva (percussão).

A intérprete que todos conhecem nestes mais de 15 anos de carreira, aparece em releituras deliciosas, como nas faixas “Amor” de João Ricardo e João Apolinário, que ficou conhecida com os Secos e Molhados, e “Se sorri ou se chorei” de Ricardo Koctus (Pato Fu).

"Selmma é uma cantora fantástica. Ela pertence à tribo das cantoras. (...). Tenho certeza que a estrada dela será cada vez mais luminosa." 
 Walter Franco

Preço – R$20,00

Faixas:
01 - Nômade - Samuel Rosa e Chico Amaral
02 - Âncora - Selmma Carvalho
03 - Se Sorri ou Se Chorei - Ricardo Koctus
04 - Amor - João Ricardo e João Apolinário
05 - Canção do Amor Doméstico - Fred Martins e Francisco Bosco
06 - Minha Festa - Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito
07 - Imperfeição - Selmma Cavalho
08 - Assim é O Coração - Jerry Espíndola e Alzira E
09 - Paisagem Pra Você - Selmma Carvalho e Sérgio Moreira
10 - A Seu Dispor - Selmma Carvalho, Paulo Santos e Vander Lee
11 - Camaleão Vaidoso - J. Veloso
12 - Caminhão de Lixo - José Carlos Guerreiro

Mariachi Sin Tequila – Groove Porrada Swing (2013)

Mariachi Sin Tequila surgiu em junho de 2011, em Belo Horizonte, sob a influência de vários estilos musicais. Rock, soul, funk, blues, samba e bossa se misturam, num tempero particular, artesanalmente pesquisado, lapidado e construído em muitos anos de carreira artística de cada integrante.

As canções são de autoria própria, com letras em português, espanhol e inglês, além de algumas composições instrumentais. Em todas, percebe-se uma gama polivalente de influências musicais, bem como a busca por uma autenticidade sonora. Literatura, cinema, artes plásticas, teatro e vida, em seus inúmeros aspectos éticos, estéticos, sociais e filosóficos, são fontes constantes de influência da banda.
Entre abril e julho de 2013, o Mariachi Sin Tequila gravou o seu primeiro disco, no Flex Studios, em Belo Horizonte, com produção musical de Visso Lana. O álbum, intitulado “Groove Porrada Swing”, conta com 13 canções, todas originais.

Os videoclipes para as músicas “Quadra Fria”, “Cuerpos Vacios”, “Álibi” e “prisioneiro do Tempo” estão circulando na internet e obtendo ótima repercussão.
A banda já se apresentou em algumas casas do circuito noturno de Belo Horizonte e arredores, como o CCCP – Cult Club Cine Pub, o Stonehenge, o Zuingler Cia do Blues, o Pacífico Café e o Mercado Mundo Mico, em São Sebastião das Águas Claras (Macacos). Em festivais, a canção “Lady Blues” foi recentemente selecionada para o 3º Festival da Canção de Alvinópolis (julho), IX FECARC – Festival da Canção de Rio Casca (setembro) e o Festival de Música de Belo Horizonte – V Edição (outubro).

O grupo é formado por Miriam Avelino (voz, violão), e Gustavo Plazzi (guitarra, violão), Cláudio Costa Val (baixo, violão, cavaquinho, voz), e Gustavo Rocha (bateria, percussão)    

Preço - R$20,00

Faixas:
01 – Dois Dias (De Ornitorrinco) – Cláudio Costa Val
02 – Pedras Falsas – Cláudio Costa Val e Alexandre Chiaretto
03 – Cuerpos Vacios – Cláudio Costa Val
04 – Lady Blues – Cláudio Costa Val
05 – Quadra Fria – Cláudio Costa Val
06 – Álibi – Cláudio Costa Val
07 – E Agora? – Cláudio Costa Val 
08 – Prisioneiro do Tempo – Cláudio Costa Val
09 – Strovenga – Cláudio Costa Val
10 – Each Parto f Blue – Cláudio Costa Val e Kicila
11 – Adbul Jabbar – Cláudio Costa Val
12 – Sono das Maçãs – Cláudio Costa Val e Federico Garcia Lorca