quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Samba Belô - Carnaval 2006 (Sambas de Enredo) – (2007)


Preço – R$20,00

Faixas:
01 – Amore Mio, Amore Mio “Pátria é Todo Lugar Que O Homem Forte Escolhe Para a Morada” (G.R.E.S. Canto da Alvorada) – Ricardo Barrão/Int.: Ricardo Barrão
02 – Pernambuco, O Leão Coroado do Nordeste (Escola de Samba Acadêmicos de Venda Nova) – Mauro Bainha/Int.: Vicente Dendem e Alexandre Vital
03 – No Despertar da Linha Verde, A Império Faz A Festa (Escola de Samba Império da Nova Era) – Toninho do Cavaco e Marinho Cantone/Int.: Eduardo Gatão e Lado Raízes
04 – Festa Para Um Rei Negro (Escola de Samba Cidade Jardim) – Janjão e Domingos/Int.: Domingos
05 – No Céu, Na Terra, As Estrelas Vão Brilhar (Escola de Samba Unidos do Onça) – Wellington Leonardo/Int.: João de Aquino
06 – Sua Majestade é o Carnaval (G.R.E.S. Unidos do Arco Íris) – Altair Barbosa/Int.: Raimundo do Pandeiro
07 – Na Busca do Ouro Negro: Petrobrás, O Sonho Que Deu Certo (Escola de Samba Inconfidência Mineira) – Tico Sambista e Lu da Tiradentes/Int.:Lulu do Império
08 – Água, Fonte de Vida e Energia (Escola de Samba Unidos dos Guaranis) – Mandruvá e Carlão/Int.: Carlão e Diquinho
09 – Provida – A Favor da Vida (Escola de Samba Mocidade Independente Bem-Te-Vi) – Nonato e Carmo Antunes/Int.: Nonato
10 – Mineração, A Riqueza de Minas (G.R.E.S. Imperatriz de Venda Nova) – Fabinho do Terreiro/Int.: Fabinho do Terreiro
11 – O Mundo Maravilhoso de Monteiro Lobato (Bloco Caricato Invasores do Santo Antônio) – Virgilio D’Ângelo/Int.: Ivo do Pandeiro
12 – Chacrinha, Uma Vida, Uma História Pela Alegria (Bloco Caricato Aflitos do Anchieta) – Mandruvá/Int.: Mandruvá
13 – O Reino Desencantado de Nossa Estória (Bloco Caricato Bacharéis do Samba) – Luciano Reis e Márcio Rodrigues/Int.: Bira Favela
14 – Brasil, Vamos Nessa Que Agora é Hexa (Bloco Caricato Corsários do Samba) – Milzinho/Int.: Milzinho
15 – 100 Anos no Ar (Bloco Caricato Inocentes do Santa Tereza) – Ângelo Almeida, Walney de Miranda e Lauro Júnior/Int.: Walney de Miranda
16 – No Reino da Alegria (Bloco Caricato Corsários Mirins) – Milzinho/Int.: Mestre Toca
17 – Infância do Encanto e Magia (Bloco Caricato Demônios do Santo André) – Berto/Int.: Altair Barbosa        

Helena Penna (Coletânea) – 2012

Em 1995, lançou o primeiro disco, intitulado “Marias”, no qual interpretou “Maria, Maria” (Milton Nascimento e Fernando Brant), “Caprichos do destino” (Pedro Caetano e Claudionor Cruz), “Triste” (Tom Jobim, em inglês) e “Cancion con todos” (C. Isella e Tejado Gomez, em espanhol).

A partir de 1995, participou de programas de rádio, como “Programa Acir Antão” (Rádio Itatiaia) e “Bazar Maravilha” (Rádio Inconfidência); e de televisão, como "Brasil das Gerais" e "Especial Rede Minas", “Sem Censura” (TV Educativa) e “Jô Soares Onze e Meia” (SBT).

Em 1997, lançou o segundo disco-solo, “Belôricéia”, com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte e em homenagem ao centenário da cidade. O CD contou com arranjos e direção de Geraldo Vianna e a atuação de mais de 40 músicos e intérpretes, alguns em participação especial.

“Helena Penna é uma das maiores revelações da MPB. Ela é a grande cantora que o Brasil precisa conhecer”. Assim o produtor e pesquisador musical Zuza Homem de Mello referiu-se à intérprete mineira, na condição de presidente do júri que deu a ela o Prêmio Sharp de cantora revelação da MPB pelo disco “Marias”, de 1995.

Com dois discos gravados – o segundo, “Belôricéia”, foi co-produção deste colunista - Helena Penna enfrenta sérias dificuldades. Vítima de diabetes, sofreu três AVCs, perdeu os rins, faz hemodiálise três vezes por semana e, recentemente, amputou a perna esquerda. Impossibilitada de cantar e trabalhar como cabeleireira, seu outro ofício de fé, ela vive da ajuda de amigos, fãs e familiares.

Preço – R$20,00

Faixas:
01 – Enredo de Minas – Ângelo Pinho e Jorge Fernando dos Santos
02 – Passional – Vander Lee
03 – Só Na Quarta-Feira – Ângelo Pinho
04 – Sebastiana da Silva – Rômulo Paes
05 – Trono de Iemanjá – Jair Silva
06 – África Mulher – Ângelo Pinho e Jorge Fernando dos Santos
07 – Devaneio – Jorge Fernando dos Santos
08 – Mais Samba, Menos Lágrimas – Sérgio Pererê
09 – Loucura Imensa – Gervásio Horta
10 – Lugar Comum – Nilo Sérgio Costa e Rosalvo Braga
11 – Bumba Meu Boi – Domínio Público
12 – Serra do Bem Virá – Sérgio Moreeira
13 – Cuá Fubá – Domínio Público
14 – A Vida Dói – Arlindo Maciel
15 – Terra Brasilis – Ângelo Pinho e Jorge Fernando dos Santos    

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Mestre Conga – Decantando Sambas (2007)

É impossível contar a história do samba de Belo Horizonte sem associá-la a José Luiz Lourenço, o lendário “Mestre Conga”. Nascido às vésperas do carnaval de 1927, em Ponte Nova, Zona da Mata mineira, carrega na bagagem uma incansável luta pelas tradições afro-brasileiras.

Filho do lavrador e sanfoneiro Luiz Balduíno Gonzaga e de Dona Cacilda Lourenço, Mestre Conga assina vários feitos ao longo de 60 anos dedicados ao mundo da música. Foi um dos fundadores, em 1950, do Grêmio Recreativo Escola de Samba Inconfidência Mineira, a mais antiga agremiação carnavalesca em atividade na capital mineira.

Também ajudou a introduzir nos desfiles o samba-enredo, em uma época em que as escolas da cidade ainda se utilizavam dos temas de improviso para atravessar a passarela e animar os foliões. Mesmo com essas facetas, só aos 80 anos conseguiu gravar, em 2006, seu primeiro disco idealizado e produzido por Júlio Coelho Rosa, com direção e arranjos de Geraldinho Alvarenga, o CD conta com a participação de um time de músicos do calibre de Celso Moreira (violão), Geraldo Magela (violão de 7 cordas), Hélio Pereira (trombone e bandolim), Eduardo Braga (cavaquinho), Rogério (percussão), engrossado ainda pelas "pastoras" Doneliza de Souza, Lúcia Santos e Rita Silva.

Nas 12 faixas, todas assinadas por ele, Conga faz da poesia a ponte para percorrer um caminho sem volta, mas bastante nostálgico. Lembra dos “maiorais” (como eram chamados os líderes do samba) Javert Tomé de Sena, Mestre Dórico e Célio Bangalô, de Dona Lourdes Maria de Souza (Lourdes Bocão), “a dama da escola de samba Monte Castelo”, além dos bairros e pontos de encontro de uma Belo Horizonte ainda em formação.

Por fim, homenageia sua escola do coração em “Mais esta saudade”: “a ela faço reverência/querida Inconfidência/é lindo seu vermelho alvianil…” . Apelido A trajetória de Mestre Conga pela cultura popular, porém, remonta à década de 1930, quando passa a beber da fonte de matrizes afro-brasileiras, como o calango, a batucada, o samba rural e a congada, do qual vem o apelido que o marca pelo resto da vida. “Meus colegas zombavam de mim na escola, me apelidaram de Conga. Ficava bravo, mas depois fui acostumando com esse nome”, diz.

Na adolescência, ao mesmo tempo em que passa a freqüentar aulas de dança de salão, começa a trabalhar em uma fábrica de sapatos para ajudar no sustento de uma família de 10 filhos. Com a suspensão das festas de rua, no período em que durou a II Guerra Mundial (1939-1945), os bailes de salão tomam conta da cidade e Conga se destaca como passista. “Naquela época, nos chamavam de batuqueiros”, explica. Passado o período bélico, as escolas e blocos carnavalescos retomam os desfiles na Avenida Afonso Pena e Mestre Conga ingressa em sua primeira escola de samba, a Surpresa, braço da pioneira do gênero, a Pedreira Unida, criada em 1938, na Pedreira Prado Lopes.

Aos 19 anos, passa a dirigir a Remodelação da Floresta, uma dissidente da Unidos da Floresta. “Aí que comecei a tomar gosto pelo samba, porque antes era uma coisa despretensiosa”, admite. Em 1948, ganha o título de “Cidadão do Samba”, concurso promovido pelos Diários Associados, que movimentava toda a cidade no período de carnaval.

Preço – R$25,00

Faixas:
01 – Lágrimas Sentidas
02 – O Mel e A Flor
03 – Sofrimentos
04 – Praça Sete
05 – O Tombo do Guerreiro
06 – Consulta
07 – Meu Tamborim
08 – Mal de Amor
09 – Gira, Mundo
10 – Lurdes Maria
11 – Eterna Paixão
12 – Mais Esta Saudade

Todas as músicas de Mestre Conga

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Festa do Rosário – Serro – MG (2000)


Preço – R$25,00

Faixas:
CABOCLOS
01 – Entraremos Nessa Casa
02 – Tranca Fita
03 – Despedida dos Caboclos

MARUJOS
04 – O Rei Mandou Chamar/Pai José Huê, Huê
05 – Rompe A Marcha Para A Bahia/Oh, Minha Virgem do Rosário
06 – Quem Despede Chora
07 – Adeus, Adeus, Adeus Maria

CATOPÊS (SERRO)
08 – Vai Vai
09 – Ave Maria
10 – Viva A Rainha do Céu
11 – Rei Mangangá

CATOPÊS (MILHO VERDE)
12 – Minha Virgem do Rosário
13 – Cuenda
14 – Marachangê
15 – Vangue Opungô é Quem Me Criou
16 – A Lua Já Vem Saindo
17 – Louvemos A Deus

CAIXA DE ASSOVIOS
18 – O Rei Mangangá
19 – Marcha Lenta
20 – Quembô-Quembá
21 – Onde Vou Parar
22 – Balainho de Flor
23 – Vai Vai
24 – Despedida

Todas as músicas de Domínio Público

Festa de Nossa Senhora do Rosário – Conceição do Mato Dentro – MG


Preço – R$25,00

Faixas:
MARUJADA
01 – Patinho Marinheiro
02 – Sol No Meio do Mar
03 – Balainho de Fulo
04 – Anjo Brilhante
05 – Tão Me Chamando Não é à Toa
06 – Vamos Afinar Nossos Instrumentos/Bandeira Levantada
07 – Adeus, Adeus, Adeus

GUARDA DE CONGO FEMININA DO BAIRRO APARECIDA - BH
08 – Lá No Céu Tem Uma Santa Maria
09 – Marinheiro Na Beira do Mar
10 – Saudação Ao Rei e À Rainha do Congo

GRUPO DE NEGROS AXÉ DE ANGOLA
11 – O Negro e A Sua Caixa
12 – Julgamento do Negro
13 – Navio de Nagô
14 – Abolição dos Escravos
15 – Coroa de Nossa Senhora

PIPIRUÌ
16 – Canção 1
17 – Canção 2

Todas as músicas de Domínio Público

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Jimmy Duchowny Organ Trio – The Brazilian Sessions (2012)


Baterista norte-americano radicado há 24 anos no Brasil, 16 deles em Belo Horizonte, Jimmy Duchowny está com disco novo na praça.

The brazilian sessions é o nome do disco que gravou com Dave Stryker (guitarra) e Jared Gold (órgão). Jimmy e o guitarrista tocaram juntos nos anos 1980 e desde então não haviam mais se visto. Ano passado se reencontraram para tocar no Savassi Festival e aproveitaram para entrar em estúdio. No repertório estão algumas composições que ele chama de “novos standards”, como Billie Jean (Michael Jackson) e You’ve got a friend (Carole King). Além dessas, Waiting for Angela (Toninho Horta) e Nos bailes da vida (Milton Nascimento e Fernando Brant), entre outras.

A ausência de um contrabaixista é o que caracteriza a clássica formação conhecida como organ trio (“trio de órgão”, em português), explica Jimmy. “Tem groove. É para dançar quando se ouve. Não é como aquele jazz mais sério. O órgão tem pedais que permitem fazer o papel do baixo. Órgão e piano são instrumentos completamente diferentes. O que se faz em um nem sempre dá certo no outro”, ensina.

O baterista elogia a forma como o disco foi gravado, ao vivo e uma única vez. “Foi incrível. Os dois tocam bem à moda antiga, ou seja, gravam sempre um único take. Se errarem, está tudo perdido. No estúdio é muito fácil, dá para consertar tudo. No entanto, Dave e Jared não quiseram fazer assim. Isso tem um lado muito bom, pois a gente toca muito mais ligado. Afinal, é só uma chance. O registro fica mais espontâneo”, conta.
Eduardo Tristão Girão - EM Cultura.

Preço – R$20,00

Faixas:
01 – Billie Jean – Michael Jackson
02 – Waiting For Angela – Toninho Horta
03 – Pro Zeca – Victor Assis Brasil
04 – Jordu – Irving (Duke) Jordan
05 – You’ve Got A Friend – Carol King
06 – O Prefeito – Dave Stryker
07 – Nos Bailes da Vida – Milton Nascimento e Fernando Brant
08 – Daahoud – Clifford Brown      

Moreno e Moreninho – Embaixada de Santo Reis (1978)


Os irmãos Cioffi, iniciaram a vida artística na Rádio Cultura de Poços de Caldas. Lá permaneceram por quase cinco anos. No período de 1952 a 1953, mudaram-se para São Paulo e começaram a se apresentar na Rádio Record, onde permaneceram por longo tempo. Em 1953, no Rio de Janeiro gravaram o primeiro disco pela Sinter, com Tempo de criança, de Francisco Lacerda e Ricardo Jardim, e Namoro moderno, de autoria da dupla. 

Em 1954, apresentaram Folia de Reis com um grupo autêntico de foliões, no Teatro Municipal de São Paulo. Em 1956, gravaram a congada Treze de maio, de Teddy Vieira, Riachão e Riachinho, obtendo grande sucesso.

Preço – R$15,00

Faixas:
01 – Divino Espírito Santo – Torrinha e Canhotinho
02 – Santo Antônio do Categiró – Moreninho e José Alves
03 – A Lua Se Escondeu – Moreno e Henrique Phol
04 – Amor de Rainha – Lourival dos Santos e Sebastião Victor
05 – As Três Marias – Moreno e José Alves
06 – Milagre da Rede – Moreninho
07 – Embaixada – Moreno e Moreninho
08 – Reisado – Moreno e Moreninho
09 – Despedida do Reisado – Moreno e Moreninho
10 – Balanço da Rede – Moreno e Xerém
11 – Resposta da Professora e O Vagabundo – Pedro Alves Borges e Moreninho
12 – Folia do Divino – José Alves e Morreno

Pinho – Nas Águas do Bem Querer (2011)

Acaba de sair do forno Nas águas do bem querer, segundo disco do violeiro Pinho, figura atuante na cena da viola brasileira. Mineiro de Três Corações radicado em Belo Horizonte, ele reuniu músicos no estúdio Villard, entre outubro e novembro do ano passado, para registrar 12 composições autorais, sendo três com os parceiros Wilson Dias, Rodrigo Delage e Claudio Lacerda.
Com produção musical de Pinho e Renato Caetano, o disco sucede ao trabalho de estréia do artista, Sina de violeiro, lançado em 2008. “O novo álbum é praticamente extensão do anterior, com a diferença de que para as três parcerias mandei as letras e os parceiros fizeram as músicas. A propósito, elas ficaram com cara de música minha, apesar de ter feito questão de que os parceiros fizessem do jeito que queriam”, diz.
Quase todas as músicas fazem referência às águas de rio, explica: “A sequências das faixas é como se fosse um rio. Ora é mais rápido, ora é mais lento”. Apenas três fiaxas são instrumentais, Ao cair da tarde, Cumpadre Chico e Malandro sou eu. “Cumpadre... é um pagode com toque de folia de reis que fiz no intervalo do programa do Chico Lobo, enquanto Malandro... é um choro caipira, com notas rápidas”, explica.
Vários convidados ajudam a dar brilho extra ao disco, como Chico Lobo, João Araújo, Fernando Sodré, Levi Ramiro, Rodrigo Delage, Carlinhos Ferreira, Wilson Dias e Renato Caetano. Vale ressaltar a participação de Gabriela Duque, de 5 anos, filha de Pinho, que canta na abertura de Namoro. “Ela adora essa música e disse que queria cantar só na abertura. Falei para ela cantar mais, mas não teve jeito”, conta o pai.
Editor da revista Viola caipira (cuja circulação está suspensa por tempo indeterminado), que criou com Margaret de Abreu, Pinho toca o instrumento há oito anos. “Antes disso, tocava quase nada, só um violãozinho batido. Tive aulas com o Fernando Sodré e essa foi a minha sorte. Três meses depois, já solava Tião Carreiro”, conta. Ele também fez curso com Braz da Viola, no qual “respirava viola o dia inteiro, durante uma semana”.
*por Eduardo Tristão Girão - EM Cultura

Preço – R$23,00

Faixas
01 – Ao Cair da Tarde – Pinho
02 – Meu Quintal – Pinho e Wilson Dias
03 – Poeta Errante e Violeiro – Pinho
04 – Boi de Arribada – Pinho e Rodrigo Delage
05 – Vida e Sertões – Pinho e Cláudio Lacerda
06 – Cumpadre Chico – Pinho
07 – Nas Águas do Bem Querer – Pinho
08 – Encontro Nas Águas – Pinho
09 – Malandro Sou Eu – Pinho
10 – Namoro – Pinho
11 – Noites de Amor – Pinho
12 – Estrela do Meu Caminhar – Pinho

terça-feira, 14 de agosto de 2012

TiãoDuá - Tião Experiença (2012)

Tiãoduá é um trio de música brasileira formado por três jovens músicos proeminentes da cena musical de Minas Gerais. Inspirado pela versatilidade e riqueza da música popular brasileira, o repertório reúne composições originais e arranjos próprios para canções clássicas brasileiras dos anos 60 e 70, apresentando um concerto emocionante e dançando com muita força e swing.

TiãoDuá lança agora seu primeiro álbum, "Tião Experiença", com dez canções originais escritas durante a ultima turnê pela Europa, em 2011, quando eles fizeram 34 concertos em 30 dias entre Portugal, Holanda, Alemanha, Espanha e Inglaterra.

Preço – R$15,00

Faixas
01 – Mindelo Season - TiãoDuá
02 – Bacharelismo - TiãoDuá
03 – Cambalhota – Luiz Gabriel Lopes, Paulo César Anjinho e Hernani Guimarães
04 – Banza Mood - TiãoDuá
05 – Intersis Play - TiãoDuá
06 – Mint Sun Drops - TiãoDuá
07 – Haarlem Station - TiãoDuá
08 – Nó Solar – Luiz Gabriel Lopes
09 – Rui Macacada - TiãoDuá
10 – Na Quebrada - TiãoDuá
11 – Oh Anna - TiãoDuá

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Happy Feet Jazz Band e Mike Hashim – Blues In The Night (2010)


A Happy Feet Jazz Band foi formada em 2008, surgida da aspiração conjunta de dois veteranos do jazz belorizontinos: o trompetista Marcelo Costa e o baterista Bo Hilbert. Parceiros da fragmentada All Stars Jazz Band, a dupla buscava renovar tanto o repertório quanto a estética musicais, focando no jazz clássico dos anos 30 a 50, sem perder a versatilidade e a criatividade contemporâneas.

O segundo álbum conta com arranjos do renomado saxofonista americano, Michael Hashim. Este repertório, presente no show do I Love Jazz Festival internacional de 2009, marca um grande salto no amadurecimento musical da banda.

Preço – R$25,00

Faixas:
01 -  Blues In the Night – Arlen e Mercer
02 – I Can’t Believe That You’re In Love With Me – McHugh e Gaskill
03 – Happy Feet – Ager e Yellen
04 – On The Sunny Side Of The Street – McHugh e Fields
05 – Alabamy Home – Ellington
06 – Centerpiece – Hendricks e Edison
07 – I Got Rhythm – Gershwin e Gershwin
08 – Whrn My Dreamboat Comes Home – Franklin e Friend
09 – I’ll be A Friend With Pleasure – Pinkard
10 – Comes Love – Brown, Stept e Tobias
11 – Blues In The Night (Alt Take) – Arlen e Mercer

Happy Feet Jazz Band – Jingle Jazz (2011)

Ao modo de muitos predecessores do gênero, este álbum traz a interpretação jazzística de vários clássicos natalinos norte-americanos, desde a solene Silent Night, à irreverente Melekalike Maka.
Preço – R$25,00
Faixas:
01 – Sleigh Ride – Leroy Anderson
02 – Baby, It’s Cold Outside – Frank Loesser
03 – The Christmas Blues – David Holt e Samy Cahn
04 – Let It Snow – Sammy Cahn e Jule Styne
05 – Christmas In New Orleans – Joseph Van Winkle e Dick Sherman
06 – The Christmas Song – Mel Tormé e Bob Wells
07 – Santa Claus Is Coming To Town – J. Fred Coots e Haven Gillespie
08 – Mele Kalikimaka – Alex Anderson
09 – Silent Night – Joseph Mohr, Xaver Gruber e John Freeman Young
10 – The Bell That Couldn’t Jingle – Burt Bacharach e Larry Kusik
11 – White Christmas – Irving Berlin
12 – Jingle Bells – James Lord Pierpont

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Rafael Martini – Motivo (2012)

Pianista Rafael Martini dá toque contemporâneo à mistura de canções e temas instrumentais em seu primeiro CD solo, o disco reúne talentos da nova safra da música de Minas Gerais.

“Essa mistura tem forte sotaque brasileiro. Mesmo com diversas influências diluídas, o disco ganhou a cara que estou começando a construir como compositor”, afirma Rafael. Aos 30 anos, ele é um dos grandes talentos de sua geração: atua tanto como instrumentista quanto arranjador, produtor e diretor musical. Formado em composição pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), fundou os grupos Quebrapedra, Corda Pele Vento, Misturada Orquestra, Ramo e Associação Livre.

Entre as principais influências do artista estão Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal e Tom Jobim, bem como jazz contemporâneo (ele gosta especialmente do que é feito nos Estados Unidos e em Israel) e o som de grupos grandes (Itiberê Orquestra Família, Orkestra Rumpillez e Misturada Orquestra). Rafael também está atento à nova safra do rock.

Gravado ao vivo no ano passado, Motivo é composto por oito faixas, sete assinadas por ele (sozinho ou com parceiros). O próprio Rafael assume o microfone em Canção da voz (escrita com a mulher, Leonora Weissmann), Consuelo (com Brisa Marques e Milagros Vázquez) e Ocaso (outra com Leonora). O repertório é encerrado com Tempo do mar, peça de Tom Jobim que lhe rendeu o prêmio de melhor arranjador no Prêmio BDMG Instrumental.
*por Eduardo Tristão Girão - EM Cultura

Preço – R$20,00

Faixas
01 – Canção da Voz – Rafael Martini
02 – Baião do Caminhar – Rafael Martini
03 – Corre, Loló, Que Tá Na Hora! – Rafael Martini
04 – Consuelo – Rafael Martini, Brisa Marques e Milagros Vazquez
05 – Sono – Rafael Martini
06 – Ocaso – Rafael Martini e Leonora Weissmann
07 – Convite – Rafael Martini
08 – Tempo do Mar – Antônio Carlos Jobim